Av. Brigadeiro Manoel R. Jordão, 761 - Barueri, SP | Tel: (11) 4194.0458 | E-mail: pnsmi@uol.com.br

Notícias › 05/03/2021

Viagem do Papa ao Iraque traz lição aos cristãos de todo o mundo, diz presidente da CNBB

O Papa Francisco seguiu nesta sexta-feira, 5 de março, para a primeira viagem de um Pontífice ao Iraque, a qual ele próprio disse realizar como peregrino de paz e esperança, mas que tem lições a dar aos cristãos de todo o mundo, segundo analisa o presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom Walmor Oliveira de Azevedo.

“A missão do Papa Francisco no Iraque é rica de lições para o mundo, especialmente no que se refere ao diálogo inter-religioso e ao compromisso cristão de promover a paz”, declarou o também Arcebispo de Belo Horizonte (MG), em entrevista a Vatican News.

Dom Walmor recordou que nesta viagem, o Santo Padre encontrará “um país que sofre com a guerra, em que a população está em permanente estado de medo” e “uma nação de maioria muçulmana”, onde os cristãos representam 1,5% da população.

Durante sua estadia no Iraque, que vai até 8 de março, o Pontífice fará uma visita à capital, Bagdá; à terra natal de Abraão, Ur; às cidades “mártires” de Qaraqosh e Mosul, marcadas pela violência do Estado Islâmico; e à capital do Curdistão iraquiano, Erbil.

Em sua programação no país árabe, além de encontros com autoridades civis, bispos, sacerdotes, religiosos, o Santo Padre também visitará o Grande Aiatolá al Sistani, participará de um encontro inter-religioso em Ur e se encontrará com os cristãos do país.

“De coração aberto, o Papa Francisco, com a sua simplicidade, com seu ardor missionário, vai testemunhar o que está na sua Carta Encíclica ‘Fratelli tutti’, ensinando que as diferenças não são barreiras para se construir a amizade social. Quando as diferenças são trabalhadas e administradas no amor e no compromisso fraterno do diálogo, elas se tornam riquezas”, assinalou.

Nesse sentido, Dom Walmor considerou que cada cristão do mundo, e não apenas os iraquianos, podem “inspirar-se no exemplo do Papa Francisco, testemunhando a fé não apenas com palavras, mas com a disponibilidade para dialogar, para ouvir, cultivando proximidade”.

Para o Arcebispo, “essa presença afetuosa, sincera, é forte testemunho do Evangelho, inspira pessoas, transforma culturas”.

“Permaneço em comunhão com Papa Francisco em minhas orações, suplico a Deus que o ilumine de modo ainda mais especial nessa sua importante missão no Iraque. Deus seja louvado por sua coragem, por seu coração aberto, por sua exemplaridade fraterna, é o que o mundo mais precisa”, concluiu.

Fonte: ACI Digital

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *